61º Festival de Cannes – Os festivais de cinema interessam a quem?

 

 

Começa hoje mais uma edição do “festival de cinema mais importante do mundo”. Esse epíteto é usado amplamente pela mídia que divulga e acompanha o tradicional festival que acontece anualmente na riviera francesa. Essa 61ª edição tem a obrigação de marcar os 40 anos passados desde maio de 68, mês símbolo de diversas manifestações políticas, culturais e sociais, que estouraram na França, mas também em outros países. Naquele ano o Festival de Cannes foi polemicamente interrompido e alguns filmes da competição nem chegaram a ser exibidos – alguns deles terão sessões especiais durante a edição presente.

 

Para muitos, o Festival de Cannes é o espaço para o “cinema de autor” (expressão que ganhou o mundo nos anos 60, a partir justamente da França e seus jovens críticos), mas isso ainda existe? Ou melhor, há realmente espaço para o “cinema de autor”? Quem pode ir ao Festival e ver esses filmes? Quais desses filmes chegam de fato ao público após receber aplausos e prêmios? Romanticamente, é possível encantar-se com a seleção de filmes do Festival e sonhar com a possibilidade de vê-los, talvez na Mostra Internacional de cinema (São Paulo), no Festival do Rio, ou ainda, em cartaz em algum cinema que ainda banque uma programação “alternativa”. É claro que me refiro aqui a filmes como “24 City” (Jia Zhang-ke), “My Magic” (Eric Khoo) ou ainda, “La Frontière de l’Aube” (Phillipe Garrel).  Os “grandes” estão assegurados.

 

E quem abre a competição hoje é o brasileiro Fernando Meirelles e seu “Blindness”, baseado no livro do português José Saramago, “Ensaio Sobre a Cegueira”. Ao ler o livro eu pensava: como esse acontecimento será resolvido no cinema? Será que a atriz Julianne Moore vai se submeter a isso? Bom, parece que Meirelles enfrentou muitos problemas com o grau de violência que a história abarca e teve que reformular várias cenas, mas também parece que a ótima Julianne Moore se entregou pra valer. Ela é a esposa do médico (Mark Ruffalo), um dos primeiro a ser acometido pela cegueira repentina e inexplicada que ataca a população de um país indeterminado. O romance de Saramago subverte principalmente o provérbio que diz que em “terra de cego, quem tem um olho é rei”. A esposa do médico fica sozinha, ao lado do leitor, na primeira fila do espetáculo de perda de humanidade. E Meirelles não está sozinho. Outros brasileiros levam seus trabalhos ao festival francês. Walter Salles e Daniela Thomas apresentam “Linha de Passe” na competição oficial, Matheus Nachtergaele estréia na direção com “A Festa da Menina Morta” – exibido na mostra “Um Certo Olhar” – e ainda “O som e o Resto” de André Lavaquial também participa do festival.

 

Na competição oficial ainda há filmes de grandes diretores como Clint Eastwood, irmãos Dardenne, Atom Egoyan e Wim Wenders. Steven Soderbergh leva para o festival seu longo filme sobre Che Guevara, com Benício del Toro no papel-título. A Argentina também colocou dois filmes na seleção mais importante do festival: os dois trabalhos mais recentes dos ótimos Pablo Trapero e Lucrécia Martel. Cannes também verá uma homenagem ao centenário do realizador português Manoel de Oliveira e sessões especiais do novo filme de Woody Allen e da seqüência da série Indiana Jones. Emir Kusturica exibirá seu documentário sobre o polêmico jogador de futebol Maradona. Ah, a foto do cartaz é do mestre David Lynch, cuja filha Jennifer Lynch apresenta o filme “Surveillance”. O festival de Cannes vai até o dia 25 de maio.

Escrito por Anderson Vitorino às 10h12



mensagens anteriores


Anderson Vitorino, 29, apaixonado por cinema, iniciou-se na dramaturgia aos 13 anos num curso de teatro. Desde lá, desenvolveu enorme fascínio pelas histórias e imagens. Estudou cinema e aprofunda-se em direção, escrita de roteiro e textos. Escreveu e dirigiu o curta-metragem Jurema, Te Amo!, 2003. Atualmente cursa Letras na USP e ensaia o seu primeiro espetáculo em São Paulo "Te espero na última plataforma".

Contato pelo e-mail:
andervitorino@gmail.com

ENTREVISTAS
SOBRE CINEMA
MOSTRAS E FESTIVAIS

HISTÓRICO

07/11/2010 a 13/11/2010
31/10/2010 a 06/11/2010
28/03/2010 a 03/04/2010
18/10/2009 a 24/10/2009
04/10/2009 a 10/10/2009
16/08/2009 a 22/08/2009
19/07/2009 a 25/07/2009
14/06/2009 a 20/06/2009
07/06/2009 a 13/06/2009
31/05/2009 a 06/06/2009
30/11/2008 a 06/12/2008
23/11/2008 a 29/11/2008
02/11/2008 a 08/11/2008
26/10/2008 a 01/11/2008
19/10/2008 a 25/10/2008
12/10/2008 a 18/10/2008
07/09/2008 a 13/09/2008
03/08/2008 a 09/08/2008
15/06/2008 a 21/06/2008
18/05/2008 a 24/05/2008
11/05/2008 a 17/05/2008
30/03/2008 a 05/04/2008
23/03/2008 a 29/03/2008
16/03/2008 a 22/03/2008
09/03/2008 a 15/03/2008
02/03/2008 a 08/03/2008
17/02/2008 a 23/02/2008
10/02/2008 a 16/02/2008
03/02/2008 a 09/02/2008
27/01/2008 a 02/02/2008
20/01/2008 a 26/01/2008
13/01/2008 a 19/01/2008
06/01/2008 a 12/01/2008
09/12/2007 a 15/12/2007
02/12/2007 a 08/12/2007
25/11/2007 a 01/12/2007
18/11/2007 a 24/11/2007
11/11/2007 a 17/11/2007
04/11/2007 a 10/11/2007
28/10/2007 a 03/11/2007
21/10/2007 a 27/10/2007
07/10/2007 a 13/10/2007
22/07/2007 a 28/07/2007
24/06/2007 a 30/06/2007
17/06/2007 a 23/06/2007
10/06/2007 a 16/06/2007
27/05/2007 a 02/06/2007
20/05/2007 a 26/05/2007
22/04/2007 a 28/04/2007
15/04/2007 a 21/04/2007
08/04/2007 a 14/04/2007
01/04/2007 a 07/04/2007
25/03/2007 a 31/03/2007
18/03/2007 a 24/03/2007
11/03/2007 a 17/03/2007
25/02/2007 a 03/03/2007
18/02/2007 a 24/02/2007
11/02/2007 a 17/02/2007
28/01/2007 a 03/02/2007
21/01/2007 a 27/01/2007
14/01/2007 a 20/01/2007
05/11/2006 a 11/11/2006
29/10/2006 a 04/11/2006
22/10/2006 a 28/10/2006